Arquitetura

Há muitas relações entre a arquitetura e outras importantes áreas da economia criativa, como design e turismo – nesse caso, principalmente quando falamos sobre patrimônio histórico de um território, por exemplo. Certamente, trata-se de um dos maiores e mais proeminentes contextos dessa economia, abrangendo serviços de arquitetura, propriamente dita, mas, também de urbanismo, paisagismo, cartografia, engenharia civil, topografia, dentre outras. Na visão de Howkins (2013), a arquitetura é mais internacional das áreas que considerou como pertencentes a economia criativa. Há todo um amplo desenvolvimento de eventos, premiações, mostras e exposições que articulam profissionais e mercados em níveis regionais, nacionais e internacionais. Soma-se a isso, a enorme quantidade de empreendimentos dedicados a arquitetura em todo o mundo, movimentando investimentos e pessoas e estabelecendo muitas fronteiras de desenvolvimento, caso de ensino, 

onde multiplicam-se as instituições que oferecem cursos de formação e atualização para a área. Para o autor:

O papel artístico e econômico dos arquitetos varia muito, indo de um punhado de arquitetos top e ganhadores de prêmios que projetam os prédios mais badalados do mundo a centenas de milhares de arquitetos, topógrafos, construtores e donos de escritórios que projetam e constroem o restante (HOWKINS, 2013, pg.: 112).

Rua Santa Terezinha 35 | Porto Alegre,RS 

contato@inspe.eco.br | Tel: 051.3273.1576